Buscar
  • mayra348

IMPLANTAÇÃO DOS NOVOS MODELOS DE REMUNERAÇÃO NA SAÚDE

Com o avanço da Telemedicina e da Teleodontologia no Brasil, os novos modelos de remuneração na saúde serão cada vez mais objeto de estratégias para os modelos de negócios e captação de investimentos em fundos especializados no setor.


O modelo “Fee For Service (FFS)”, mais utilizado pelos prestadores de serviços de saúde, prioriza a melhoria da atenção à saúde e a sustentabilidade integral do sistema, sendo a chamada remuneração baseada em valor. Nesse caso, o prestador é pago por cada serviço realizado, sendo recomendável pela própria ANS que seja adicionado o pagamento por desempenho na busca de uma maior garantia de resultados e qualidade da assistência, além da adoção de protocolos e diretrizes científicas para os procedimentos, da coleta de informações para o funcionamento do modelo, como o custo unitário das unidades de serviço, o valor estabelecido para cada procedimento e a lista de procedimentos que devem ser identificados separadamente.


Além deste, outros modelos reconhecidos pela Agência Nacional de Saúde (ANS), como o Pagamento por Desempenho, Captation, Orçamentação, Diagnosis Related Groupings ou DGR, Pagamento por Diárias Hospitalares, têm sido as mais novas tendências adotadas por Clínicas Médicas e Odontológicas, seguindo os sistemas mundiais de remuneração de saúde.


A implementação desses novos modelos de remuneração deve ser realizada com cautela, considerando, especialmente, as relações jurídicas envolvidas na cadeia de saúde, bem como os impactos tributários, societários, de responsabilidade técnica perante o órgão fiscalizador, e de Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).


#saúde #modelodenegócio #clinicamedica #clinicaodontologica #telemedicina #teleodontologia #ans #lgpd #healthtechs

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DOCUMENTOS MÉDICOS ELETRÔNICOS

O CFM avança na regulamentação dos sistemas informatizados de prontuários médicos e dados de saúde com a publicação da Resolução CFM n. 2.299/2021 (DOU em 26 de outubro de 2021). a) A norma prevê impo